Saber ouvir


Por Fernando Corrêa Pinto

Embora estejamos vivenciando um tempo de grandes evoluções na forma de comunicação mundial,onde estamos inseridos numa circularidade de informações voltadas a interatividade e a massividade, encontrar um bom ouvinte se tornou algo raro.
A maioria das pessoas deseja expor suas opiniões na busca de atenção e empatia dos outros, até fazem uma boa apresentação de seus argumentos por meio da fala, contudo sua comunicação fica restrita ao ato de falar. Elas não sabem escutar. Ouvir é uma arte refinada e que deve ser cultivada como parte de nossa personalidade. O simples ato de ouvir pode favorecer um bom relacionamento de empatia. Aqueles que têm habilidade para ouvir são pessoas valorosas. 


Existe uma grande diferença entre escutar e ouvir. Todas as pessoas creem que sabem ouvir os outros, mas são poucas aquelas que realmente o fazem. A arte de ouvir é difícil. Podemos escutar diversos ruídos ao nosso redor, até vozes inteligíveis, todavia a escuta é um pouco diferente.
Quem escuta dá atenção àquiloque esta sendo falado focando sua atençãonas expressões verbais. Nosso dia a dia é cercado de situações e motivos diversos para que nós não escutemos uns aos outros. Seja por conta de preocupações mentais com o futuro ou algum tipo de ansiedade, desatenção por uso de celular ou outras tecnologias ou até mesmo um falta de empatia com a necessidade e o problema do próximo.
Vivemos dias sombrios, existe um poder desmedido no discurso oral, mas poucos de nós temos consciência dele. Há casos de indivíduos que no momento da fala alheia já estão formulando um pensamento para a resposta, essa prática resulta em uma falta de compreensão no que está sendo dito e atrapalha profundamente as relações pessoas. Precisamos desenvolver nossa escuta ativa. E, se tratando de um profissional da escuta, seja psicólogo, psicanalista, conselheiro ou alguém da área pastoral esse fato se torna inaceitável.
É fácil perceber quando não estamos sendo escutados. As expressões não verbais se tornam visíveis aos olhos. A mudança de assunto de forma brusca, o corte ou interrupção da fala do outro, ou até mesmo o simples ato de repetir uma conversa que foi dita anteriormente demonstram que a escuta não ocorreu ou foi de forma parcial. Refletindo sobre o assunto, poderíamos nos perguntar, o que podemos fazer para corrigir tais falhas.
Para aquele que deseja desenvolver a arte da escuta faz se necessário à prática de uma atitude simples: Preste atenção ao momento, olhar e ser olhado faz parte do ato comunicativo!
A mensagem transmitida por um olhar positivo é um porto seguro, transmite confiança.Parece algo redundante mencionar este fato, mas é importante falar sobre isso,assim como é fundamental que haja uma percepção não só na linguagem verbal do individuo, mas também na não verbal.
Como mudar o cenário que vivenciamos hoje?Primeiro ponto, faz se necessárioser apaixonado por pessoas. É preciso parar, olhar e escutar. Ter paciência. Sábios são aqueles que aceitam, adotam e se adaptam. Precisamos nos colocar no lugar do outro, precisamos entender que cada pessoa carrega consigo uma história, além disso, somos diferentes.
As nossas redes de relações sociais são formadas por indivíduos com personalidade própria e por realidades muita das vezes diferente das nossas. Com isso, os problemas normalmente residem naquilo que não esta sendo dito, devido à individualidade e forma de compreensão subjetiva de cada indivíduo.
Pessoas têm carências emocionais, medos e atitudes de autodefesa.Estas características não são de tudo ruim, pelo contrário, um pouco disso é necessário.Quando na medida certa, nos auxiliade forma positiva.
Portanto saber separar o que é “algo natural e sadio” para o individuo e o que é “patológico” requer destreza do ouvinte. A falta de atenção pode não somente atrapalhar as relações, mas também a vida pessoal de qualquer pessoa. Uma escuta ativa faz toda a diferença. Quem está desatentoàs relações pessoais no tempo presente acabam transitando em pensamentos passadosou acabam ficando refém do futuro, não conseguindo assim, reter e aprender com o que está sendo dito no tempo presente. Problemas de desorganização, ansiedade, falta de foco no que faz, podem desencadear uma sensação de vazio por não conseguir sair da escravidão do passado e tendem a não viver o presente.
            Além de se doar atenção é necessário entender que a escuta é também um ato de doação. Amar a sim mesmo é fundamental, mas o fato de amar o próximo como a nós mesmo precisa ser desenvolvido por aqueles que desejam escutar. A empatia, sentir a dor do outro e permanecer atento as necessidades futuras demonstram a presença de um coração doador. Para alguns essa habilidade é natural e para outras a doação deve ser aprendida. Olhar no olho, escutar coma atenção e fazer perguntas e comentários sobre o que está sendo dito fará com que a pessoa que esta sendo escutada se sinta amada e respeitada.
A escuta e o diálogo são habilidades próprias dos seres humanos. Para àquele que deseja ser um bom ouvinte é importantíssimo dispor seu tempo a isso. Saiba organizar a sua agenda e não sobrecarregar o seu dia com tarefas sem fim.Organize sua vida, comece por suas tarefas diárias.Gaste seu tempo com qualidade, tenha tempo em sua agenda para ajudar, para ouvir e dar atenção aos outros. Nada mais valoroso que o tempo.
Um hábito importante para aqueles que desejam desenvolver uma escuta “humanizada” é ter um tempo de busca, de meditação em livros e em informações que possam ajudar o desenvolvimento pessoal do individuo.  Bons livros nos ajudam a silenciar a as vozes internas, ajudam a crescer pessoalmente e em casos de livros religiosos a cultivar um bom relacionamento com o Criador. Uma boa recomendação seria a meditação na Bíblia Sagrada.
Termino esse breve texto com uma citação importante do apostolo Tiago da Bíblia Sagrada. “Portanto, meus amados irmãos, todo o homem seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar.” (Tg, 1,19). Podemos observar que o autor faz três recomendações importantes. Primeiro ele não reforça a ideiade que o ato de escutar deve ser feitopor individuosdotado de sabedoria especial. O texto é claro, esta faculdade deve ser dada a todo ser humano, não devendo ficar restrito a ambientes religiosos ou de profissionais da saúde mental, mas todos. Por fim resta claro nesta passagem a necessidade de saber escutar, esperar o tempo certo para falar e possuir um controle emocional adequado. 

Saber ouvir é uma arte, a escuta qualificada possui potencial terapêutico quando realizada, e contribui para a melhoria da atenção centrada na pessoa e as relações sociais.

Revisão do texto: Aline Moreira de Oliveira



Comentários

Unknown disse…
Este comentário foi removido pelo autor.